terça-feira, 3 de abril de 2012

O QUE FAZER COM ESPAÇO DEBAIXO DA ESCADA?

Hoje em dia, cada centímetro faz a diferença. E aquele espaço vazio embaixo da escada merece, sim, ganhar uma função. Seja na organização, com uma estante, como sala de estar, com aparelhos TV e som, e até como escritório. Encontrei algumas dicas muito interessantes na Casa Claudia, vejam só:

O móvel da TV (1,50 m x 54 cm, altura de 40 cm) aproveita o vão sob os degraus da escada de aço e alumínio e ainda recebe decoração especial, com flores e uma bandeja com taças. Um detalhe que deu vida nova ao projeto e acabou se tornando a estrela do ambiente: o grande espelho atrás da escada amplia o espaço e duplica a luminosidade natural. Projeto de Paulo Castellotti.


Uma caixa de freijó de 2,35 m x 70 cm, altura de 35 cm, se adapta ao degrau do piso e abriga a coleção de livros, fotos e outros objetos decorativos. Pelo lado da entrada, o tampo de vidro de 40 cm de profundidade oferece apoio ao notebook (foto à direita). Projeto de Ricardo Umada.


O projeto clean prima pelos traços retos e um fundo claro que realça as peças de cores fortes. Sob a escada, três prateleiras recebem uma decoração afinada. Ao lado, a lareira, revestida de tábuas de eucalipto envelhecido, garante o calor do fogo no inverno. Os nichos do móvel baixo guardam a lenha e ajudam na organização. Projeto de Cynthia Pedrosa.


Na reforma, preservou-se a estrutura de concreto da escada, mas ela foi revestida de peroba-mica. A mesma madeira foi usada no painel da base, que é apenas decorativo, pois não ampara a escada. Prateleiras e uma bancada, utilizadas como bar, aproveitam o vão (na área onde ele tem entre 0,87 e 1,92 m de altura). Embaixo da bancada, há armários – os frisos ajudam a ocultar as portas. Projeto de Alexandre Monteiro e Paula Neder.


Na reforma, cobriu-se a estrutura metálica da escada, que ficava aparente, para criar a estante de MDF laqueado. A parte vertical dos degraus, que até então era vazada, ganhou placas também de MDF pintadas de branco. O móvel tem o contorno irregular, moldado pelos degraus. Para disfarçar, foram embutidos nichos assimétricos. A porta falsa, no armário superior, esconde parte da escada. Projeto de Tatiana Scorzelli e Ximena Diaz.


Na ampliação da cozinha, a arquiteta incorporou a área da antiga lavanderia (que, por sua vez, foi para o piso superior). Para interligar os dois ambientes, instalou-se a escada de concreto com degraus de peroba. Na parte onde o vão inferior é mais baixo (entre 0,90 e 1,60 m de altura), foi colocado o armário feito sob medida que acompanha o caimento da escada. Armários planejados com alturas variadas ocupam o espaço sobre a pia. Projeto de Paola Ribeiro.


Quando a escada demolida deu lugar a outra, o lavabo abaixo dela ficou mais largo e ganhou um vitrô. O tom escolhido para a pintura, um vermelho forte, faz par com a madeira da escada e a teca usada na bancada. Uma dica: caso pense nessa solução, quando o pé-direito permitir, não se esqueça de planejar a ventilação do lavabo. Projeto de Adriana Ribeiro de Mendonça e Arnaldo Buzolin.


No terraço de 120 m² desta casa, o muro de 5 m de altura ganhou um tratamento especial: recebeu réguas de ipê. A escada não ficou para trás: os degraus de concreto, revestidos de lambris da mesma madeira, parecem flutuar. Sob ela, palmeiras ráfis com forração de grama-pêlo-de-urso e beijinhos compõem o canteiro de 2,50 x 0,90 m. As plantas maiores são podadas toda semana para evitar que atrapalhem o uso da escada. Projeto de Rita Santiago.


Aqui, a cozinha se prolongou para debaixo da escada. No vão, sobrou área para suportes de papel, micro-ondas e um armário. Repare que o granito da bancada da pia se estende pela lateral da parede – a largura de 18 cm é suficiente para apoiar os potes sem impedir a passagem. Rente ao chão, a gaveta assume papel de adega e acomoda duas fileiras de garrafas. A peça estende-se até o final da escada. Projeto de Wagner Fortes e Beto Amaral.


Ver uma parte da escada da sala de jantar não é um problema: no vão, três grandes vasos sobre seixos claros trazem o verde para dentro de casa. Os balizadores da escada, embutidos na parede, colaboram para uma iluminação ainda mais aconchegante e chamam a atenção para esse ponto do ambiente. Projeto de Núria Roso e Lindamar Elias.


Graças à profundidade de 70 cm, foi possível instalar, sob a escada, um depósito e um móvel para os objetos decorativos. Na parte de trás, há o depósito de 40 cm, em que ficam armazenados enfeites de natal, vasos e fotografias. Para facilitar o acesso a essas caixas, a estante, que acompanha o desenho do espaço e ocupa apenas 30 cm de profundidade do vão, ganhou rodízios. Atenção: antes de instalar prateleiras no vão da escada, certifique-se de que não haverá canos por trás das paredes. Projeto de Ricardo Caminada.


Penduradas em ganchos apropriados, as bicicletas ocupam a área do antigo quarto de empregada. O espaço integrado à sala ganhou vista para o pequeno jardim. A escada vazada, com estrutura metálica e degraus de madeira, foi especialmente projetada com o intuito de manter o equipamento esportivo à mostra. Embaixo dela, no módulo laqueado, ficam guardados os acessórios para pedalar: capacetes, tênis e sapatilhas. Projeto de Consuelo Jorge.


Esta cabana à beira da lagoa guarda queridas lembranças de viagens de seus proprietários, Lica Paludo e Paulo Schaefer. Nem o espaço sob a escada, que leva ao único quarto da casa, passou despercebido: pendurados em ganchos, ali estão colares do Taiti e cestas da Provença, na França. Uma imagem de Iemanjá e outras peças de decoração ficam apoiadas sobre uma prateleira.


E lá na nossa página do Facebook que acabei de criar (vem participar você também, basta curtir nossa Fanpage aqui), coloquei a que mais me identifiquei:


BJOS

MILLA TRINDADE