quarta-feira, 30 de maio de 2012

APROVEITAR O ESPAÇO

Falta de espaço não é problema nesta casa. Com um projeto bem planejado e bem executado, somado a truques eficientes de decoração, o imóvel apertado tornou-se um lar aconchegante. Quer saber quais os segredos do projeto de 60 m² tão bem resolvido? “Menos divisórias, piso claro, espelhos, muita luz natural, móveis encostados nas paredes e nada de peças atravancando a passagem”, lista o arquiteto Daniel Tesser.


Com 1,50 m de largura, a cozinha tinha um passa-pratos que incomodava o morador. A solução foi a abertura quase completa do ambiente, que passou a ser demarcado pelo balcão.



Posição estratégica da TV é ponto alto. A televisão aportou na parede do jantar: “Assim, fica à vista de quem está no sofá, na cozinha, à mesa, no escritório e na varanda”, justifica o arquiteto Daniel Tesser. Para valorizar essa superfície – a mais extensa do imóvel –, usaram-se massa texturizada e iluminação pontual, embutida na sanca. O piso de porcelanato claro propiciou unidade visual a toda a ala social.



Para não pesar no ambiente, o morador escolheu uma mesa com tampo de vidro e base de madeira em cruz. Seguindo a proposta de leveza, as cadeiras são de acrílico incolor e preto.  O escritório, avistado do jantar, perdeu a parede de alvenaria e ganhou um painel corrediço de MDF branco. A peça traz originalidade e também a luz natural do home office. “O desenho foi inspirado nos traços do artista holandês Piet Mondrian”, diz Daniel. 

Encostados na parede e somando 3,60 m de largura, os dois racks são curingas. Servem de assento – por isso os futons sobre os móveis – e guardam aparelhos de som e imagem, além de livros e garrafas de vinho. 

No escritório, foram utilizadas soluções econômicas. Diferentes módulos de madeira (fora de linha), com nichos de 40 x 40 cm, foram empilhados, formando uma estante para os materiais de pesquisa do arquiteto. “Esse recurso saiu mais em conta que um móvel pronto”, afirma.

O closet também é local de diversão para Daniel ao abrigar a bateria eletrônica. As portas de madeira dos armários ajudam a abafar o som do instrumento, para não incomodar os vizinhos.

A porta original da suíte foi substituída por um modelo que corre do lado de dentro do quarto, poupando o espaço de abertura e garantindo melhor aproveitamento da área de 7,55 m². A porta do segundo quarto migrou do corredor para a suíte, virando o acesso ao closet.



Com menos divisórias, a cozinha (1) ganhou amplitude e liberou a vista para os demais ambientes. O escritório teve a parede do acesso demolida e substituída por um painel vazado (2). No outro quarto, transformado em closet, a porta mudou de lugar (3). A varanda foi incrementada: parte da jardineira deu lugar a um banco de concreto e madeira (4). 
courtesy: Casa Claudia

BJOS

MILLA TRINDADE